canal aberto

HOME  CADERNO F REGIÃO   ESTADO OPINIÃO IDÉIAS TURISMO O JORNAL ARQUIVO PROJETOS ANÚNCIOS SISTEMA

 


POLÍTICA
PATRIOTA FALA SOBRE MOMENTO POLÍTICO E RENÚNCIA DE
NEY LEITE

Por: Pedro Batista
Diretor e editor

Jornalista e gestor imobiliário com pós graduação em gestão de negócios pela Universidade Luterana do Brasil, Roberto Patriota fala sobre o delicado momento político por que passa o município de Touros, ocasionado pela renúncia do prefeito Ney Leite, como candidato a reeleição. Ex-secretário de Turismo e de Imprensa do município de Touros, Fundador da Folha do Mato Grande e da FM Mato Grande, primeira emissora de rádio do município de Touros, colunista do jornal Tribuna do Norte por mais de uma década, tendo participação constante na imprensa do RN e do país há pelo menos 30 anos. Patriota analisa o atual momento político e sustenta seu argumento desde o inicio da campanha política tourense de que o prefeito Ney Leite não seria candidato a reeleição. "Em algum momento da campanha ele vai renunciar", afirmou o jornalista ao colega Luiz Solano durante suas muitas participações no programa "Conexão Brasília".  

Porque motivo ou motivos o Sr. sempre afirmou com convicção em suas participações no programa de rádio "Conexão Brasília" através da rádio Guarany, que o prefeito de Touros Ney Leite não seria candidato a reeleição?

Falava na rádio e também disse a vários amigos, muitos deles me ligaram após o anuncio da renúncia do prefeito. Olhe bem, um candidato disposto a enfrentar uma batalha difícil e complicada como uma reeleição majoritária tem que tomar atitudes acertadas, como por exemplo organizar as finanças municipais, tem que fazer isso há pelo menos doze meses do pleito eleitoral e urgente começar a arrumar a casa efetivamente. Principalmente saudar compromissos em atraso com os fornecedores do município, são eles que ajudam a formar a imagem positiva ou negativa de um gestor. O prefeito Ney Leite em nenhum momento fez isso, continuou empurrando a administração na barriga, atrasando pagamentos e deixando o básico de lado. Como alguém que se comporta assim pode reunir condições para viabilizar uma reeleição? O eleitor brasileiro tem mudado bastante na última década, graças a Deus está mais consciente, com o pé mais fincado no chão, passando a participar mais da vida política, assumindo o seu verdadeiro papel como cidadão. O prefeito Ney Leite achava que essa eleição seria parecida com a sua primeira, ledo engano. Passados quase quatro anos ele ostenta hoje uma enorme rejeição popular, acumulou muitos problemas na gestão e fora dela. Em suma, lhe faltaram as condições necessárias para enfrentar a batalha.

Mas, porque o prefeito Ney Leite deixou para renunciar a candidatura oficialmente quatro dias antes do pleito eleitoral? Porque não tomou essa decisão bem antes?

Por três pontos: falta de visão da realidade administrativa, vaidade e falta de conhecimento político. Venho sempre conversando em bastidores com amigos e também com alguns nomes de dentro da administração de Touros. A situação do prefeito Ney Leite se complicou logo no inicio do mandato, com um ano e meio de gestão seu nome já estava 100% inviável, ele é muito mal assessorado. Ele não sabia como a coisa funcionava, não tinha experiência administrativa o, que é fundamental para uma boa gestão. A maioria dos municípios brasileiros são inviáveis economicamente falando, sobrevivem basicamente só do FPM, isso requer que o gestor público tenha bastante experiência, a função cobra que seja um profissional bastante capaz e organizado. Hoje além do Tribunal de Contas do Estado e da União, existe uma rigorosa fiscalização por parte do Ministério Público e também das Câmaras Municipais. O prefeito Ney Leite está administrando Touros como se fazia há quarenta anos atrás, muito antes da Lava Jato. Ele acreditou que conseguiria reverter o quadro e foi se perdendo mais e mais até que não suportando a forte pressão e tendo os números das pesquisas bem nítidos na sua frente resolveu evitar uma derrota fragorosa nas urnas, acho que ele fez certo, só que deveria ter tomado essa atitude há pelo menos três ou quatro meses, teria evitado muitos gastos desnecessários e o envolvimento e desgaste de seus amigos e correligionários em uma eleição que já nasceu perdida e que ele sabia que não teria como vencer.

Como ficam as coisas agora com a desistência do prefeito Ney Leite?

Espero que tudo se acalme e Touros encontre um rumo certo para o futuro, muitos costumam dizer que detestam política, mas é preciso compreender que a participação das comunidades é fundamental para que o processo político amadureça, o povo precisa participar de perto, ajudar a fiscalizar, apontar os erros e também contribuir com soluções. Espero também que o prefeito Ney Leite consiga superar todo esse processo político negativo e consiga colher de tudo isso o lado positivo que sempre fica. Me sinto bem a vontade para falar sobre o assunto, não nutro nenhum tipo de inimizade contra Ney, muito pelo contrário, nossas famílias são ligadas há muitas décadas aonde sempre existiu laços de amizade, portanto aqui está só o lado profissional. Gosto sempre de lembrar palavras do saudoso amigo e ex-prefeito de Ceará-Mirim, Jorginho Câmara, quando me confidenciou no final da sua gestão ter passado toda a vida sonhando em ser prefeito da sua terra e que quando conseguiu realizar esse grande sonho de juventude descobriu e humildemente reconheceu que não tinha preparo para a função que desempenhava. Me disse ele: "todas as pessoas precisam reciclar os seus sonhos, nem todos os sonhos traz felicidade ou realização, muitas vezes é só um equivoco que colocamos na nossa cabeça".

 

 


Sistema Integrado de ComunicaçãoConheça a Folha do Mato Grande

Expediente | Departamento Comercial | Arquivo Vivo | Classificados | Sistema Integrado | Fale Conosco
© Copyright. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo desta página sem a prévia autorização da nossa direção. // Designe Criativa